Tagged as: tecnologia

O uso da tecnologia a serviço da saúde do colaborador

O uso da tecnologia a serviço da saúde do colaborador

Primeiramente precisamos definir o que é Tecnologia em Saúde. Nada mais nada menos do que a “aplicação de conhecimentos e habilidades organizadas na forma de dispositivos, medicamentos, vacinas, procedimentos e sistemas desenvolvidos para resolver um problema de saúde e melhorar a qualidade de vida” (Organização Mundial da Saúde);

Dessa forma podemos entender que o uso da tecnologia a serviço da saúde do colaborador abrange um conjunto de artefatos com o objetivo de promover uma melhoria na saúde, tratar as doenças e reabilitar os trabalhadores.

Esses artefatos incluem:
• Medicamentos
• Dispositivos médicos
• Procedimentos
• Sistemas organizacionais e de suporte em que os cuidados à saúde são oferecidos
• Triagem diagnóstica

De uma maneira geral podemos categorizar as tecnologias em hierarquias, dependendo dos componentes utilizados.
• Atenção à saúde: Sistema de suporte organizacional
• Médica: Procedimentos
• Biomédica: Medicamento e Equipamentos

Os componentes organizacionais são externos ao setor da saúde e vale lembra que o termo tecnologia não se prende aos avanços tecnológicos materiais, mas eles englobam, também, os avanços intelectuais e modificações nas leis.

Dessa forma podemos citar como fatores externos ao setor da saúde:
• Saneamento básico
• Direitos trabalhistas
• Educação

Avaliação das Tecnologias em Saúde

É necessário a avaliação constante dos efeitos e/ou impactos das tecnologias na saúde dos colaboradores. Seu principal objetivo é gerar informações sobre o que deve ser feito para o incentivo de práticas custo-efetivas, prevenindo a adoção de tecnologias questionáveis ao sistema de saúde.

Tecnologia a serviço do colaborador

Basicamente as tecnologias aplicadas ao colaborador tem como finalidade a realização de estudos, ações de prevenção, assistência e vigilância aos agravos à saúde relacionadas ao trabalho.
Suas realizações agem em prol, principalmente, da redução das doenças ocupacionais e acidentes de trabalho o que gera e proporciona uma melhor qualidade de vida aos trabalhadores.

As realizações devem se focar no âmbito das prevenções e avaliações das situações de risco nos ambientes de trabalho, promovendo atividades educativas e informativos na área da saúde do trabalhador e atuar sobre as questões referentes à biossegurança, cuidados com o meio ambiente e segurança do trabalho.

Essas ações devem ser monitoradas e analisadas por uma equipe multidisciplinar de profissionais capacitados, observando onde estão os problemas.

Os avanços tecnológicos na área da saúde do colaborador devem compreender que o trabalhador é o ator principal do processo, inserido nos diferentes contextos de trabalho, sejam eles complexos, criativos, repetitivos ou monótonos.

As pesquisas derivadas dessas observações devem determinar as diferentes cargas de trabalho. Além disso, é preciso se aprofundar dentro de uma visão sistêmica e humanizada do colaborador, caso contrário os problemas de saúde continuarão se agravando. Gerando prejuízo para o empregador e para o empregado.

Falta de tempo e tecnologia, vilões dos exercícios? Será?

A falta de tempo e o avanço da tecnologia é atribuída por muitos como vilões do sedentarismo, mas realmente você não tem tempo? A culpa é da tecnologia? Quantas vezes as pessoas do século XX levantavam da cama ou do sofá para  ir até seu televisor  trocar de canal quando entrava o comercial? pouquíssimas vezes, acabávamos assistindo a todos comerciais, quantas vezes subíamos e descíamos o vidro do carro manualmente? Antigamente não existiam tantos alimentos diets e lights como existem hoje, tantas academias, e tanta informação sobre saúde e bem estar. Incorpore no seu dia a dia o habito de se mexer, desça 2 pontos antes do seu trabalho, casa e faculdade,  no trabalho evite elevadores e vá de escadas,  peça a sua empresa que introduza um programa de ginástica laboral para evitar doenças ocupacionais e melhorar  seu bem estar físico e mental e assim um aumento na produtividade.

Então o problema não é a falta de tempo e nem o avanço da tecnologia, pois mostramos que simples atos durante sua jornada diária no fim das contas podem ajudar, e a tecnologia ao mesmo tempo que pode estimular hábitos sedentários, também pode estimular hábitos mais saudáveis. Portando somos nós mesmos que decidimos o que fazer, e vamos utilizar o tempo e a tecnologia a nosso favor Já!